REGISTROS DE MOMENTOS NOSSOS


Quinta-feira , 08 de Janeiro de 2009


MOMENTO RELEMBRADO N° 14 (NA REALIDADE, UM CONJUNTO DE MOMENTOS)

Três coisinhas:
1. A Koly folga nos fins de semana. Eu folgo de forma corrida : segunda e terça duas vezes seguidas, terça e quarta idem, e assim sucessivamente. Ou seja, folgo dois fins de semana a cada três meses.
2. Nossas cidades distam 70km uma da outra, de fronteira a fronteira. Levo pouco mais de duas horas para chegar na casa dela, pegando três conduções.
3. Por conta disso tudo, nos vemos duas noites por semana, ou dois dias quando folgo nos fins de semana. Nosso contato, diário, é por telefone.

Com tudo isso, explico nossa ausência do blog: do dia 20 ao dia 4, a koly esteve de férias. E, veio me dar de presente, sua presença, em minha cidade por estes dias.

19/12-  Ela chegou à noite. Ficamos na casa de minha irmã que tem um quarto vago. Num abraço quieto que atravessou a madrugada, descansei com uma criança cansada de tanto brincar o dia.

20/12- Acordei com o cheiro dela. Com o calor dela. Com o carinhosos bom dia dela. Passamos o dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite, outro abraço quieto que atravessou a madrugada.

21/12- Acordei com o cheiro dela. Com o calor dela. Com o carinhoso "Bom Dia" dela. Passamos o dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. Melhor presente de aniversário que tive até hoje. À noite fui trabalhar

22/12- Cheguei às oito da manhã, para deitar na cama e receber o cheito dela. O calor dela. O carinhoso "Bom Dia" dela. Dormi assim e passamos o resto do dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite fui trabalhar.

23/12- Cheguei às oito da manhã, para deitar na cama e receber o cheito dela. O calor dela. O carinhoso "Bom Dia" dela. Dormi assim e passamos o resto do dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite ela voltou à São Paulo. Com a irmã, faria, no dia seguinte, a ceia para passar o Natal com a família. Eu fui trabalhar.

24/12- Nos falamos, pelo telefone, à noite, enquanto eu ia trabalhar.

25/12- Nos falamos por telefone à noite, enquanto eu estava a caminho do trabalho. Desejossos pelo dia seguinte em que eu nos reencontraríamos, para quatro dias de folga em meu trabalho.

26/12- Ela chegou perto do fim de tarde. Ficamos na casa de minha irmã que tem um quarto vago. À noite, fui trabalhar.

27/12- Cheguei às oito da manhã, para deitar na cama e receber o cheito dela. O calor dela. O carinhoso "Bom Dia" dela. Dormi assim e passamos o resto do dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite, outro abraço quieto que atravessou a madrugada.

28/12- Acordei com o cheiro dela. Com o calor dela. Com o carinhosos bom dia dela. Passamos o dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite, outro abraço quieto que atravessou a madrugada.

29/12- Acordei com o cheiro dela. Com o calor dela. Com o carinhosos bom dia dela. Passamos o dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite, outro abraço quieto que atravessou a madrugada

30/12- Acordei com o cheiro dela. Com o calor dela. Com o carinhosos bom dia dela. Passamos o dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite, outro abraço quieto que atravessou a madrugada.

31/12- Acordei com o cheiro dela. Com o calor dela. Com o carinhosos bom dia dela. Passamos o dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite, fui trabalhar.

01/01- Cheguei às oito da manhã, para deitar na cama e receber o cheito dela. O calor dela. O carinhoso "Bom Dia" dela. Dormi assim e passamos o resto do dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite, fui trabalhar.

02/01- Cheguei às oito da manhã, para deitar na cama e receber o cheito dela. O calor dela. O carinhoso "Bom Dia" dela. Dormi assim e passamos o resto do dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite, fui trabalhar.

03/01- Cheguei às oito da manhã, para deitar na cama e receber o cheito dela. O calor dela. O carinhoso "Bom Dia" dela. Dormi assim e passamos o resto do dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. À noite, outro sempre bem vindo abraço quieto que atravessou a madrugada.

04/01- Acordei com o cheiro dela. Com o calor dela. Com o carinhosos bom dia dela. Passamos o dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. Voltei com ela à São Paulo. Revimos sua mãe, que ela estava com saudades. Dona Inês é uma senhora divertidíssima, uma graça de pessoa. E o coração é mesmo de mãe. À noite, outro abraço quieto que atravessou a madrugada.

05/01- Acordei com o cheiro dela. Com o calor dela. Com o carinhosos bom dia dela. Passamos o dia com os corações cheios de ternura, enquanto eu ia absorvendo aqueles momentos com seus sorrisos, com seus gestos, seus olhares e seus carinhos. Conversamos coisas sérias, coisas bobas, coisas particulares, e nos divertimos assim, entregues ao que nos faz sermos quem somos um para o outro: o sentimento verdadeiro que nasceu e se desenvolveu, e hoje nos protege e acolhe. Ela tinha de entrar às oito e meia no trabalho. Nos despedimos na estação e vim embora com o coração trtansbordando de lembranças lindas.

...

Esse é o gênero de lembranças que quis registrar. detalhes poderão render textos específicos no futuro. O repetitório também não é à toa, pois essas repetições, para mim, ainda foram tão poucas... Queria tantos mais...E ainda existem tantos caminhos e tantos dias por somar aos que já fizeram a nossa história , não é minha Pequena ... Ainda existem tantos sonhos . E na soma de todos os dias , o nosso afeto vence e , em meio aos percalços, somos felizes de estarmos um com o outro. Um sentimento difícil de explicar. Que só eu posso compreender em você. Que só você pode adivinhar em mim.

A todos vocês, um feliz ano novo. O meu começou feliz.

Meu outro blog tem um texto de ano novo, claro. WWW.ALGUMASPALAVRAS-IVAN.BLOGSPOT.COM.

Escrito por Ivan da Luz às 20:37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, Música, Livros
MSN -

Histórico